Minha trajetória: LUBE por Lurian Beatriz

01/10/2020

Eu sempre gostei muito de moda, de criar roupas, e depois da faculdade, cursos e pós-graduação, percebi que queria ter uma marca de roupa feminina (simples assim, facinho!). Mas eu não queria ser “mais do mesmo”, ser só mais uma loja de roupas que trabalha na onda do “ctrl c + ctrl v” ou seguir o que “tá todo mundo fazendo”. Fui contra alguns conselhos de começar com revenda (cabeça dura que sou!), mesmo sem ter nenhuma experiência de chão de fábrica, porque eu queria produzir as peças, cria-las e acompanhar os processos até que elas estivessem prontas para serem usadas.

Comecei com a cara, a coragem e o apoio financeiro dos meus pais (não vou mentir para vocês, isso fez uma enorme diferença) e percebi que era mais difícil, trabalhoso, caro e lento do que eu imaginava. Sempre fui do tipo reflexiva, argumentadora e apoiadora dos direitos iguais, e acho que justamente por isso eu não conseguia pressionar as costureiras a entregarem as peças rápido custe o que costurar. Eu cobrava, exigia qualidade, mas esperava o tempo que elas gastavam para concluir. Foi assim que comecei a ter “coleções atrasadas” e o mercado lançando cada vez mais cedo as coleções baseadas nas estações do ano (graças a Deus e a percepção dos seres humanos isso de estações e validades já mudaram muito no mercado atual de moda – pode ser tema para outra post inclusive. Querem?).

Cheguei a ver marcas grandes e conhecidas nacionalmente lançando coleção de primavera/verão antes do inverno realmente ter começado. Faz sentido para vocês? Para mim nunca fez. Tive apoio do meu marido (na época ainda namorado), do meu irmão e de amigas que já tinham experiência na área e das que acreditaram que esse sonho era possível. E falo de coração, é mais difícil do que parece. Primeiro porque por muito tempo a Lube foi uma EUmpresa (empresa de uma pessoa só), tirando modelagem e costura o restante das coisas todas eram feitas por mim – criação, compra de tecidos e aviamentos, corte, o leva e traz tecidos e peças de modelistas e costureiras, as fotos, mídias sociais…

Resumindo: eu tinha muito o que fazer, não conseguia cumprir o planejamento, me perdia na hora de criar e tomava decisões erradas com frequência. Segundo, porque eu queria fazer diferença e fazer diferente, e com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo – porque empresa é assim – eu me esqueci desse meu propósito. Quando parei para pensar com pouco mais de um ano de empresa, eu tinha um estoque grande, peças que não representavam o DNA da Lube, um caixa desorganizado e um amor gigante pela marca que eu queria construir.

Pensei em desistir, trabalhar com outra coisa ou em outra empresa, mas tive muito apoio de amigos e família que acreditavam que mesmo eu tendo escolhido o caminho difícil, eu tinha potencial para conseguir que isso funcionasse. ÓTIMO! Apoio é essencial na vida das pessoas, e isso me fez continuar a jornada. Parei de produzir e fui analisar meus erros. A logo não representava a empresa, as peças não conversavam com nosso público-alvo, eu estava com bloqueio criativo e frustrada com a baixa nas vendas. Respirei (pra não pirar!) e busquei ajuda. Fiz uma consultoria de imagem e o redesign da marca com a Plie (empresa massa composta por profissionais foda! Vejam: @pliedesign). Conversamos muito, contei a trajetória, o que eu queria para marca, tanto para o novo logo quanto para a imagem que a empresa passaria através das peças que desenvolveríamos. Foi esclarecedor!

Mas se comunicar através das mídias sociais hoje é complicado, temos inúmeras marcas no mercado, inúmeros influenciadores, um algoritmo que está em constante mudança e um mundo que não tem barreiras geográficas. Se você realmente não tiver algo legal para que as pessoas tenham real interesse pelo que você faz, você volta a ser só mais um. Além disso, sempre fui muito tímida e não era nem um pouco fã de me filmar ou de falar em público. Com o boom dos stories no Instagram a necessidade de falar com os seguidores e mostrar mais sobre a Lube foi crescendo, e eu como tinha assumido a “cara da marca” por sempre me falarem que a marca era minha cara, tive que lutar contra esse bloqueio e me jogar nos vídeos (não foi tão rápido quanto soou, mas hoje já não sofro tanto me filmando como era há um tempo atrás). Posso dizer que as necessidades que foram surgindo no decorrer do tempo de empresa moldaram a mim, como pessoas, como “chefe” e como profissional, e a Lube.

A marca foi pensada no início para seguir tendências, ter uma produção rápida, com espaço físico para receber os clientes, e sempre priorizando uma boa experiência de compra. Hoje somos uma marca atemporal, que trabalha no formato slowfashion e com apenas loja on-line. Só mantemos do nosso projeto inicial, a atenção ao cliente para que todas as nossas peças que vão para o seu guarda-roupa, sejam peças com qualidade e façam diferença na hora de você compor os looks do seu dia a dia. Hoje eu tenho parceiros (em sua maioria mulheres. Me orgulho muito disso!!) que me ajudam a seguir em frente, desde os ligados à produção (modelista, cortadora, costureiras, estamparia) até a parte de gerência e assessoria. Não se faz nada sozinho!

O mundo é um coletivo e precisamos aprender a nos relacionar, seja profissionalmente ou não, com as pessoas e o ambiente que nos cerca. E vale muito lembra que existem pessoas por trás de empresa e que o sonho e o esforço que nós entregamos para que tudo isso funcione tem muito valor (e não tem preço). Eu, Lurian, mulher, casada, empresária, dona de casa, metida a escritora e influencer, tenho sonhos e frustações e estou todos os dias aprendendo a lidar com eles e com os imprevistos.

Geminiana de nascença, canceriana, capricorniana, virginiana e até mesmo ariana por erros astrológicos (hahahahaha sim! Não sou uma típica geminiana) aos quase 30 anos de vida, me sinto realizada por ter coragem de contar os perrengues que passei, falar dos meus erros e permanecer com disposição, fé e o força de vontade para continuar minha trajetória. Sou grata por todas as pessoas que sonham comigo, aguentam meus surtos e crises (hihihihi quem nunca?!), se arriscam como minhas modelos, me ajudam nas entregas e compras, me dão conselhos e broncas, compram minhas criações e me apoiam nesse sonho.

E meu muito obrigada a você que tirou seu tempo para ler e conhecer mais sobre mim e sobre a Lube!

Carregando…